terça-feira, 10 de maio de 2011

Invernada!!!

Clique na imagem!


Como é belo o Pajeú
Água barreira a barreira
Uma barragem sangrando
Enxurrada e corredeira
E o povo sertanejo
Feliz até com goteira.

Um comentário:

Fiocruz disse...

Isso é bonito Poeta!

Coisas boas que eu acho,
Não é fama nem dinheiro...
É na sombra do oitizeiro
Tomar banho no riacho;
Tirar fruta boa no cacho
Daquelas bem madurinha;
Acordar de manhazinha
Escutando a passarada;
Abraçar a pessoa amada
No aconchego da cozinha

Sentir cheiro de terra molhada,
Escutar inverno na biqueira;
O barulho da cachoeira
Quando chove de madrugada
No tempo de trovoada
É festa pro sapo e jia
Num coral de cantoria
Não sei de onde vem tanto
Mas é som pra todo canto
Até amanhecer o dia

Quando chega a trovoada
Meu Sertão tem alegria
É tanta cantoria
Que faz a passarada
Como orquestra bem afinada
Canta a Lambu e a Codorniz
O Chofreu ou Concriz
Galo de campina - Cabeça vermelha
Garrinchas em cima da telha
Numa algazarra muito feliz

Moro na capital
Mas não esqueço do Sertão
Deixei meu torrão
Que na lembrança é imortal
No agreste e litoral
Sertanejo não me estranha
Minha origem acompanha
Aonde quer que eu vá
Sinto orgulho ser de lá
E uma saudade tamanha

Domício Sá