quarta-feira, 8 de abril de 2009

Bio Doido, quem não conhece?!


Quem nunca ouviu falar em Bio Doido?! Figura folclórica e bastante conhecida de São Jose do Egito. Bio, não era só engraçado, era um gênio de respostas curtas e definitivas. Tanto que os senhores de mais conhecimento de São Zé, faziam questão de indagar Bio, pra ter o privilegio de ouvi-lo numa resposta que desconcertava a pergunta. Como ele mesmo dizia, Bio não era doido o ano todo, ele era doido todo ano. No período do inverno ele tomava conta de sua roça, numa terra que tinha na zona rural. Ficava uns seis meses sem ir à cidade. Mas quando ia! Certa vês ele tava oferecendo uma terra pra vender a alguns comerciantes na feira quando um deles perguntou;

- A terra lá é grande Bio?

- Prus lado num é muito não, mas pra baixo, tudo que tiver lá é meu!

Em outra ocasião, pedia sementes de algodão ao dono de um armazém para o plantio, quando este lhe perguntou se a terra era nova, se tinha sido arada, renovada;

- E a terra Bio, é nova?

- É da idade das outras que tão lá.

Mestre Bio Doido, dono de tantas histórias, já é falecido, morreu com mais de setenta anos em São Zé, suas proezas estarão sempre na lembrança daqueles que conviveram com ele e repassadas às futuras gerações. Ou seja, não há de morrer nunca!

4 comentários:

Flor do Lácio disse...

Jorge, adorei sua crônica. Todas as cidades interioranas têm um personagem que marca a vida de todos.Aqui onde moro, (Areado-Sul de Minas)houve , houve oZé Toledo, que marcou minha infância e de muitas pessoas. Falo dele na crônica :Óia o Zé Toledoooooo, texto postado no meu blog http://flordolaciospc.blogspot.com, lá há muta coisa divertida.Ficarei feliz se visitá-lo. Felicidades. Sandra prado

Wagner Marques disse...

Sempre tem aquelas figuras que são imortais!

pedrotorresfilho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedrotorresfilho disse...

Rapaz, Biu Doido é o Hierosomilitano de maior brio de todos os tempos que tive oportunidade de conhecer e conviver com ele nas ruas de minha cidade.

Certa feita, ferido em sua honra, duvidaram de sua coragem em saltar da ponte que corta o Rio Pajeú, sobre a rodovia PE-462, e sem demora ele atirou-se lá de cima caindo nas pedras que lhe aguardavam há uma altura de uns 10 a 11 metros em minhas estimativas.

No hospital onde ficou internado em virtude de fraturas em ambas as pernas e rompimentos de ligações nas articulações, o que lhe rendeu um peculiar manquejo durante o restante de sua vida, Biu Doido foi visitado por aqueles duvidosos, ainda não satisfeitos, com a façanha, que lhe indagaram:
- Biu, Foi bom?
E biu respondeu, contente:
- A saída!

Eu não tenho dúvidas, de que entre a loucura e a sensatez desta figura genial que serviu de inspiração para tantos outros personagens similares por este Brasil afora, o brio desa personagem Egipsiense Secular é orgulho de todo uma nação nordestina.

Um poeta não tem defeitos: