sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Mestres da poesia!




Para fazer um soneto

Tome um pouco de azul, se a tarde é clara,
e espere um instante ocasional
neste curto intervalo Deus prepara 
e lhe oferta a palavra inicial

Ai, adote uma atitude avara
se você preferir a cor local 
não use mais que o sol da sua cara
e um pedaço de fundo de quintal

Se não procure o cinza e esta vagueza
das lembranças da infância, e não se apresse
antes, deixe levá-lo a correnteza

Mas ao chegar ao ponto em que se tece
dentro da escuridão a vã certeza
ponha tudo de lado e então comece.

Carlos Pena Filho.

Um comentário:

Roserlei disse...

POETA JORGE... BOA NOITE!

O POETA AZUL É UM SONHO!!!!
ABRAÇO