sábado, 20 de junho de 2009

O homem gravador.

O Mestre Zé de Cazuza [de calça branca], Felizardo Moura, seu filho [ao lado de camisa listrada], Beatriz Castro, apresentadora do programa, e alguns vizinhos do sítio onde o poeta mora na Prata-PB


O Mestre das Artes da Paraíba, o gênio Zé de Cazuza, esteve recentemente em destaque na TV Globo [com sérias restrições] no programa Globo Repórter, que falava sobre a memória, destaque esse, merecido com honras, como O Homem Gravador.

Desde criança o mestre Zé de Cazuza vem decorando e repassando, os mais valorosos repentes, dos mais destacados poetas desta arte. Não é brincadeira, o cabra fazia o verso na hora, na base do improviso, e Zé decorava no mesmo instante. Uma dádiva por ele não desperdiçada.

A muito o mestre Zé já carrega esta alcunha, destacada agora no referido programa. Val Patriota, filho do não menos genial Louro do Pajeú, foi certa vez indagado; Val, qual a diferença entre Zé e um gravador, Val da sentença; O gravador grava tudo e Zé só grava o que presta, referindo-se as magníficas estrofes decoradas pelo mestre Zé.

José Nunes Filho, Zé de Cazuza, é hoje Mestre das Artes da Paraíba, título cedido pelo governo do estado, por seus serviços, incalculáveis, prestados a cultura do nosso país. O Mestre é capaz de passar horas a fio declamando os mais variados mestres do repente sem repetir uma estrofe ou esquecer qualquer detalhe da ocasião onde se deu o repente.

E não fica por ai. Zé além de decorar os versos dos outros, também cria e decora seus próprios versos, como estes que agora destaco;

O poeta quando canta
Faz o seu mundo encantado
Cresce mais do que a planta
Quando o solo está molhado
Anda por mundo invisível
Esquecer é impossível
Dos improvisos que faz
Sua existência é florida
Quanto mais canta na vida
Mais deseja cantar mais.

Este ano, o Mestre Zé de Cazuza, intera seus oitenta anos, de uma existência cheia de grandes feitos e de uma história repleta de sabedoria e ensinamentos. Ser contemporâneo deste gênio, ter convivido com ele desde minha tenra infância, me dá um orgulho da gota.

4 comentários:

Diana disse...

Olá Jorge,
Spu pesquisadora e produtora do canal Futura e estou precisando entrar em contato com o Zé de Cazuza. Você tem como me ajudar?
Tem o telefone ou email dele?
Obrigada

Decanto de Poetas disse...

Diana,

Manda email para pedrofilho@msn.com que te passo os dados de Jorge Filó e de Felisardo Moura, filho de Zé, telefones e email.

Pedro Torres

Decanto de Poetas disse...

Jorge tá viajando com os poetas, Miguel Marcondes e Luiz Homero, filhos de Zé de Cazuza, da banda Vates e Violas que estão com agenda de shows bem cheias neste período junino.

Abraço,

Pedro Torres

//Anizio disse...

Poeta zé de cazuza/
É um amigo da Prata/
Onde a poesia brilha/
Prata este nome retrata/
Zé vai glosando seus temas/
Declamar é seu dilema/
Nas noites de serenatas./

***********************
//Anizio